quinta-feira, 1 de junho de 2017

CAPÍTULO XLI / A ALUCINAÇÃO

       


Era verdade. Entrei apressado; achei Virgília ansiosa, mau humor, fronte nublada. A mãe, que era surda, estava na sala com ela. No fim dos cumprimentos disse-me a moça com sequidão:
— Esperávamos que viesse mais cedo.
Defendi-me do melhor modo; falei do cavalo que empacara, e de um amigo, que me detivera. De repente morre-me a voz nos lábios, fico tolhido de assombro. Virgília... seria Virgília aquela moça? Fitei-a muito, e a sensação foi tão penosa, que recuei um passo e desviei a vista. Tornei a olhá-la. As bexigas tinham-lhe comido o rosto; a pele, ainda na véspera tão fina, rosada e pura, aparecia-me agora amarela, estigmada pelo mesmo flagelo, que devastara o rosto da espanhola. Os olhos, que eram travessos, fizeram-se murchos; tinha
o lábio triste e a atitude cansada. Olhei-a bem; peguei-lhe na mão, e chamei-a brandamente a mim. Não me enganava; eram as bexigas. Creio que fiz um gesto de repulsa.
Virgília afastou-se, e foi sentar-se no sofá. Eu fiquei algum tempo a olhar para os meus próprios pés. Devia sair ou ficar? Rejeitei o primeiro alvitre, que era simplesmente absurdo, e encaminhei-me para Virgília, que lá estava sentada e calada. Céus! Era outra vez a fresca, a juvenil, a florida Virgília. Em vão procurei no rosto dela algum vestígio da doença; nenhum havia; era a pele fina e branca do costume.
— Nunca me viu? perguntou Virgília, vendo que a encarava com insistência.
— Tão bonita, nunca.
Sentei-me, enquanto Virgília, calada, fazia estalar as unhas. Seguiram-se alguns segundos de pausa. Falei-lhe de coisas estranhas ao incidente; ela porém não me respondia nada, nem olhava para mim. Menos o estalido, era a estátua do Silêncio. Uma só vez me deitou os olhos, mas muito de cima, soerguendo a pontinha esquerda do lábio, contraindo as sobrancelhas, ao ponto de as unir; todo esse conjunto de coisas dava-lhe ao rosto uma expressão média, entre cômica e trágica.
Havia alguma afetação naquele desdém; era um arrebique do gesto. Lá dentro, ela padecia, e não pouco, — ou fosse mágoa pura, ou só despeito; e porque a dor que se dissimula dói mais, é muito provável que Virgília padecesse em dobro do que realmente devia padecer. Creio que isto é metafísica.


Conteúdo completo disponível em:






Links:


Slippery Letra

Mask Off Letra

Bad And Boujee - Migos Featuring Lil Uzi Vert

Bíblia Online

Poetry in English

Poesia em Espanhol

Sanderlei Silveira

Sanderlei Silveira

Sanderlei Silveira

History in 1 Minute

Áudio Livro - Sanderlei

Billboard Hot 100 | Song Lyrics - Letras de Músicas

Educação Infantil - Vídeos, Jogos e Atividades Educativas para crianças

Santa Catarina - Conheça seu Estado

Conheça seu Estado - História e Geografia

Poesia em Português, Inglês, Espanhol e Francês

Top 10 BLOGs by Sanderlei Silveira



The Dark - Ellen M.H. Gates - Poetry, Poem

Thou Art Not Lovelier Than Lilacs, - No - Edna St. Vincent Millay - Sonnet 18 - Poetry, Poem

Slippery - Migos - Letra Musica - Tradução em Português

Economia em 1 Minuto - Sanderlei

As festas populares em Santa Catarina SC

Áreas de preservação no estado de São Paulo SP

A Guerra do Contestado PR

Pantanal – Patrimônio Natural da Humanidade MS

Mein Kampf PDF

Palácio da Justiça do Amazonas - Centro Cultural, Museu - Manaus - Amazonas AM - Brasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário